May 14, 2014

, , ,

Ayu - História da Infância

(As legendas das fotos foram traduzidas de cima para baixo, da direita para a esquerda)


Quando era bebê:

Um pouco depois das 19:00, em 02 de outubro de 1978, no Hospital Universitário de Fukuoka, Ayumi nasceu. Ela pesava 2,78kg e era chamada de "bebê com o rosto negro." Daquele momento em diante, a própria Ayumi nos guiou pelos estágios de sua vida.

Uma pequena estrela que saiu de suas fraldas e começou a falar cedo:
Eu era muito pequena quando nasci, tanto que tive que ser colocada naquilo - como vocês chamam aquilo? A coisa que parece uma rede. Ah, a incubadora? (risos) Eu tive que ser colocada lá.

"O parto em si foi fácil. Ela saiu quase imediatamente quando as contrações começaram, porque era muito pequena. (risos)" — Mãe.

O nome Ayumi foi dado pela vovó. Era para ser como um desejo para mim, "para andar em frente, um passo de cada vez!"... Mas enfim, eu não acho que tenha sido a criança que ela desejava que eu fosse. (risos)

Eu não estava realmente tentando, mas sai das fraldas bem nova. Aprendi a falar bem cedo também, então era realmente uma pupila, até o jardim de infância.

"Ela não foi uma criança que deu trabalho. Embora uma vez eu tenha acordado e a encontrei brincando com seu próprio cocô... Todos os adultos presentes no dia riem da Ayumi até a hoje por causa desse incidente. (risos)" — Mãe.

Ei, mamãe não deveria ter falado isso. (bico)

Eu era como um menininho naquela época, não importa onde eu ia, as pessoas perguntavam "quantos anos você tem, menininho?" E porque eu nunca era chamada de filha, menininha, lembro-me de usar o termo "boku*" para falar sobre mim mesma.

*Boku (僕): forma masculina de dizer "eu" em japonês.

Legenda das fotos:

"Eu estava bem chique aí, mas realmente não me lembro disso agora. (risos) Provavelmente eu tinha 2 anos." Em Akiyoshidai, Yamaguchi

"Isso não se parece comigo de alguma forma. Esse bebê tem apenas uma pálpebra. Oh, bem, acho que ainda não tinha me tornado humana. (risos)"

1 ano. "Acho que isso foi tirado no parque de diversões Greenland, na minha cidade natal. Provavelmente fui com meus primos Ya-chan e Kiku-chan. Provavelmente."

"Isso foi em Greenland também. Essa é minha vó na esquerda e minha mãe na direita. Eu brinquei tanto, dirigindo por aí no meu carrinho." 2 anos, como um menininho.


Jardim de infância e fundamental:

Uma criança solitária* nessa época, especialmente durante o ensino fundamental, ela era uma criança sombria... conhecida por ser tímida, reservada e envergonhada. No meio disso ela teve seu primeiro amor. Uma fofura inesperadamente reconfortante, passamos a ver um pouco da Ayumi que ninguém conhecia.

*O termo usado foi "latchkey", que significa uma criança que volta da escola para um lar vazio, porque seus pais estão sempre fora trabalhando.

Uma infância solitária. Sua rival: A TV?

Ayumi era realmente uma criança fria e quieta. Eu não construi castelos de areia com meus amigos na areia? Mesmo nessas situações eu só ficava de lado, observando pensando "o que é tão legal nisso?" E por amar lugares altos, costumava subir em árvores e ficava lá, sonhando acordada sozinha.

Porque minha mãe estava sempre trabalhando, ela não tinha muito tempo para ficar comigo. Então, quando ela via tv e ria de algo que estava sendo mostrado, eu realmente ficava com ciúmes. Então, para não perder, sentava na minha cadeira perto da tv e, de repente, me levantava e começa a atuar. (risos)

O Centro de Cuidados Diários desprezível. Excelente com instrumentos como xilofone e também atuando.

Eu fui à um centro chamado Violet Daycare Centre, mas odiava lá. Eu não era boa correndo, odiava a comida e não falava com ninguém além da minha boa amiga Yuuko.

Contudo, por alguma razão eu gostava dos instrumentos. E quando você gosta de algo, pratica com tudo que pode e depois fica bom nisso, certo? E os elogios da professora me deixavam ainda mais feliz... Eu fui até escolhida para tocar um solo de xilofone em uma festa de Natal.

"São aquelas duas de novo!" Famosa na vizinhança?:

Eu fiz muitas coisas ruins com Yuuko. Nós arrancamos todas as flores que mamãe e vovó plantaram no jardim e fizemos tanto barulho quando invadimos o jardim do vizinho para pegar girinos, que fomos perseguidas por ele. Contudo, fazer essas coisas me faziam sentir feliz. Acho que era mesmo uma criança solitária.

As verdadeiras palavras da mãe:

Ela era muito tímida e reservada. Ao invés de brincar com os amigos, escolhia tocar piano em casa, ou desenhar ou escrever cartas... Ela era muito introvertida. (risos)

Um incidente que sempre lembrarei é que ela tinha um projeto de artes para o verão. Ayumi fez um trabalho tão bonito, que era tão bonito que a professora perguntou onde ela tinha comprado e ela foi incapaz de dizer que ela mesma tinha feito. Quando fui buscá-la, ela estava chorando e se recusava a falar qual era o problema. Eu só soube o que aconteceu quando liguei para sua amiga.

Ela também assistia o anime Anne of Green Gables e me disse que queria uma criança como Anne. Naquela época, também decidiu que queria ser modelo e porque as modelos tinham que socializar com muitas pessoas, pouco a pouco ela passou a ser mais extrovertida.

Legendas das fotos:

"Isso parece um parque, eu acho... Talvez por isso estivesse com essa expressão." Aos 4 anos.

Uma menina feliz em uma festa de Natal. "Eu performei em um grande auditório primeiro, depois fiz a segunda performance no centro e cuidados diários."

"Isso foi na festa de Natal também. Tínhamos que falar alguma coisa, então passar o microfone e a vela para a próxima criança, mas eu não queria. (risos)" Em Violet Daycare Centre.


Memórias de um primeiro amor reconfortante de uma garota sombria e reservada:

Uma personalidade super reservada... E um triste incidente no recital.
Quando eu estava no ensino fundamental, era mesmo uma garota muito reservada. Nunca tinha levantado minha mão na classe e mesmo quando a professora chamava meu nome, ficava toda vermelha e abaixava minha cabeça, incapaz de falar, mesmo que eu soubesse a resposta.

Tínhamos um recital de música uma vez e de acordo com o sistema de revezamento da minha sala, era minha vez de ser a presidente. Naquela época eu fiquei tipo "Não posso! Nunca falei em público antes, só posso ler do script e mesmo assim minha voz não sai... " Eu costumava ser assim. (risos)

O dia que ela saiu do topo do Jungle Gym*:

*Jungle Gym é um brinquedo daqueles que ficam em parquinhos, que tem uma casinha, escorregador, trepa-trepa e afins.

Eu fiquei com tantos hematomas por causa daquele brinquedo. É difícil escolher um incidente específico para contar... Teve uma vez que estava no topo do brinquedo e precisava ir ao banheiro, mas senti que não valia a pena ir, porque tinha gastado tanta energia para subir lá. Então, quando já não aguentava mais pensei "ok, vou descer", dei um passo para fora e... caí no chão com tudo! Ainda assim eu consegui chegar até o banheiro e só depois que terminei o que queria fazer lá que senti a dor. Fui mandada para o hospital e além dos hematomas, também quebrei algo em minha perna. (risos)

Primeiro amor por N-kun começou nos balanços:

Um dia, na 3ª série, estava nos balanços quando alguém veio até mim e mandou eu sair. Ele era tão grande e grosso e parecia estar tão bravo, meu único pensamento foi "Nossa, esse menino é assustador!" e esse era N-kun.

Eu fiquei muito irritada aquele dia, mas logo em seguida comecei a gostar dele e isso durou por muuuuito tempo. A família de N-kun era de eletricistas e sempre que ficávamos sem bateria em casa, eu pegava minha bicicleta e ia para a casa dele comprar outras, mesmo ele morando realmente longe. ♡ (risos) Então, uma vez quando eu estava fora, N-kun foi à minha casa e me deixou um relógio com formato de peixe* de presente...

*Ayu é um tipo de peixe em japonês.

Legenda das fotos:

1ª série. Tocando Ballade Pour Adeline, de Richard Clayderman no recital de piano. "Eu cometi um erro no começo e fiquei um pouco aturdida. (risos)"

(Não traduzida)

"Foi tirada no mesmo dia da foto da 1ª série. Era hora da refeição... Tivemos mesmo um banquete. (risos)" Ela amava colocar geléia na comida.

Tirada durante a primeira noite de uma viagem escolar. "A segunda da esquerda, na fila de trás, é Ayumi. À minha direita é a famosa Yuuko. (risos) A segunda da direita da fila da frente é nossa vizinha Mai-chan."

"Eu acho que foi na 4ª série, quando fomos à uma excursão de história natural." Ela continua praticamente a mesma desde então?

"Essa não foi tirada no mesmo parque da página anterior? Eu me lembro que estávamos fazendo um churrasco ao ar livre lá." Na 2ª série, quando ela ainda era introvertida.


Grande trasformação na 7ª série: Seu primeiro encontro: um encontro duplo.

Então, fomos assistir O Guarda Costas juntos... junto com Yuuko e o menino por quem tinha interesse. Um encontro duplo? Mas no fim, acabou sendo dois meninos saindo juntos e duas meninas saindo juntas. (risos)

Quando eu tive que ir para Tokyo, não o contei, mas como é uma cidade pequena, as novidades voam e ele veio me perguntar se eu estava mesmo indo... Eu o deixei sozinho em Fukuoka no fim. Mas eu quase quis abrir mão de Tokyo por ele. (risos)

Lágrimas no aeroporto de Fukuoka. Fukuoka fica menor...

Eu vim para Tokyo na 8ª série, para Twins Teacher. Até então, nunca tinha tido uma boa impressão de Tokyo ou do mundo de entertenimento. Mas quando estava filmando Twins Teacher, conheci pessoas realmente inocentes, bem como algumas bem ambiciosas.

Eu não tinha muita paixão por modelar até então, sentia que era muita campanha publicitária. Eu queria conhecer muitas outras pessoas assim em Tokyo.

Então, fui apresentada para entrar na Sun Music... mas chorei quando sai de lá. Todos do grupo estavam lá por mim, mas porque havia repórteres da minha cidade natal também, eu entrei em pânico.

Olhando para o telefone cinza, nós pensamos "Ei, o que é isso?" "É um telefone internacional?" "Devemos usá-lo para ligar para casa?" Estávamos sempre animados assim, mas quando era hora de dizer "Vejo você amanhã!", Minazou de repente começou a chorar. Isso fez com que todos, inclusive eu, chorassem muito também.

Eu chorei no avião também. Pensei comigo mesma "Olhe, Fukuoka está ficando menor." e isso foi tão triste e doloroso. Mas quando o avião chegou perto de Tokyo, a esperança pareceu ficar maior. Eu disse a mim mesma para trabalhar duro desde então.

Legenda das fotos:

"7ª série, com Piggy Ree na sala de casa." Um cachorro branco, seu verdadeiro nome é Ree. Confiram a página 24 para saberem o significado desse nome.

Foto promocional de sua agência de modelo em Fukuoka. "Eu estava na 8ª série. Tão 'pura'."

9ª série. "Fomos esquiar durante uma viagem escolar. Não consigo me lembrar o lugar... (risos)" Contudo, podemos ver o nome do lugar em suas camisetas.

Festival de Esportes da 8ª série. Uma garota com 8 garotos. Ela era mesmo uma rainha... "Nós éramos um time de líderes de torcida, isso é tudo. Os grupos 3-6 só tinham meninos."

8ª série, tirada em Tokyo, quando fez a audição para Twins Teacher. "Me falaram que minha saia era muito longa, foi um grande choque cultural. (risos)"

Seu visual durante a época de modelo. Um casaco rosa com luvas azuis causam um verdadeiro impacto. "Essa minha pose continua sendo copiada por pessoas que se passam por ayu! (risos)"

Tradução e adaptação: Marina Aino
Fonte: Letters from ayu
  

0 comentários:

Post a Comment

Olá pessoal. Deixem seus comentários que eles serão divulgados no Blog após verificados! Consciência ao postar é uma educação que todos devemos ter.
Infelizmente a moderação teve que ser ativada por mal uso deste canal.
Aguardamos seu comentário.

Grato. Adm.